Em coletiva desastrosa pós-clássico, Ceni repassa culpa aos jogadores: ‘Erros grotescos’

O Flamengo de Rogério Ceni ficou 72% com a posse de bola.

Inútil, improdutivo, sem criatividade, ousadia.

E o treinador foi muito cobrado pela derrota.

Nervoso, diante da pressão da imprensa, ele já percebeu.

Perdeu a confiança dos jornalistas que cobrem o Flamengo.

Ele teve o que pedia.

Dez dias para treinar.

E o futebol da equipe seguiu muito ruim, inseguro.

Sem espírito de decisão.

Em mais uma partida que a vitória era obrigatória.

Sua entrevista foi desastrosa.

Ele vem repetindo a mesma postura quando passou por dificuldades no São Paulo.

E no Cruzeiro.

Primeiro, negou a realidade.

Depois se mostrou abatido, entregue.

E repassou a culpa aos jogadores.

Erro que costuma ser fatal.

Assista a coletiva:

error: